EventoGospel

O Espírito Santo vai te levar onde Ele quiser…

Publicidade

Estude Teologia

janeiro 2015
D S T Q Q S S
« dez    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Rádio ON LINE

“Não contavam com minha astúcia”: pastor Lucinho Barreto se veste de Chapolin para pregar; Assista

“Não contavam com minha astúcia”: pastor Lucinho Barreto se veste de Chapolin para pregar; Assista

“Não contavam com a minha astúcia”. A frase, amplamente conhecida no Brasil por causa do personagem Chapolin, criado e interpretado por Roberto Gómez Bolaños, foi usada pelo pastor Lucinho Barreto na introdução de um sermão recente.

Vestido de Chapolin, Lucinho intitulou sua mensagem com outra frase comum nos episódios do programa de humor que Bolaños produzia: “E agora, quem poderá me defender?”.

O pastor Lucinho Barreto ficou conhecido nacionalmente quando, num culto de jovens da Igreja Batista da Lagoinha (IBL), simulou o uso de cocaína nas páginas da Bíblia. Sua intenção era ilustrar uma suposta “dependência” da Palavra de Deus.

O malfadado episódio recebeu inúmeras críticas e foi lamentado em rede nacional pelo jornalista José Luiz Datena, na Band. “Isso é uma profanação de um livro sagrado, da Palavra de Deus”, disse Datena à época.

Novamente, Lucinho centrou sua mensagem na “dependência de Deus” e afirmou que não tem como ser condicionado a Ele e a “outras coisas ao mesmo tempo”.

O líder de mocidade da IBL disse aos presentes no culto que é preciso “aprender a depender de Deus”, assim como o poeta no Salmo 121: “Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra. Ele não permitirá que você tropece; o seu protetor se manterá alerta, sim, o protetor de Israel não dormirá, ele está sempre alerta!”.

Próximo de concluir seu sermão, o polêmico pastor deu um tom triunfalista ao sermão e afirmou que na dependência de Deus é possível ter forças para vencer os inimigos e ser bem-sucedido: “Se você colocar sua dependência n’Ele, Ele vai te dar força. Força muito louca. Você vai levantar de manhã e falar assim: ‘Sai da minha frente, [por] que eu acordei’. E você vai conquistar”.

Assista:

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

Marco Feliciano rebate críticas de Jô Soares: “Esse preconceito é porque sou evangélico?”; Assista

Marco Feliciano rebate críticas de Jô Soares: “Esse preconceito é porque sou evangélico?”; Assista

O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) divulgou carta-aberta a Jô Soares e rebateu as afirmações feitas pelo apresentador de que ele não deveria ser presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados.

A fala de Jô em crítica a Feliciano aconteceu durante uma discussão sobre o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), que vem sendo acusado de fazer apologia ao estupro.

Em sua carta, Feliciano esclareceu que desde o começo de 2014 já não atua mais na CDHM pois o mandato à frente da comissão era de apenas um ano, e disse que era injusto da parte de Jô Soares desqualificar seu trabalho, pois assuntos que não eram tratados há tempos receberam atenção.

“Às vezes me pergunto como um homem com tamanha cultura com uma equipe de produção das mais competentes, antenados em tudo que ocorre no mundo, às vezes forma juízo de valor sobre pessoas e as expõe ao seu grande público, como é o meu caso. Fui citado várias vezes durante minha gestão como presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias e também recentemente ao abordarem o ocorrido com o deputado Jair Bolsonaro, o querido Jô indagou sobre mim, e afirmando que eu não deveria estar na Comissão de Direitos Humanos. Eu perguntaria: por que esse preconceito? Será por que sou evangélico? Será por que não sou de movimentos considerados ‘cult’, nem carrego a bandeira vermelha?”, questionou o pastor Marco Feliciano.

Na sequência, o pastor acrescenta informações sobre seu mandato na carta a Jô Soares: “Teria a produção do Jô, tão competente, explicado a ele que não sou mais presidente da comissão desde o início deste ano, sendo as presidências de comissões anuais e que hoje sou apenas um entre tantos membros da comissão? Teria a produção do Jô procurado nos anais da Casa do Povo os trabalhos efetuados em minha gestão à frente da CDHM, tais como, audiências com índios que há anos não eram atendidos pela dita comissão?”, voltou a questionar.

Na sequência, Feliciano acrescenta uma leve provocação a seus adversários políticos: “Ainda questionaria ao amado Jô se ele soube de algum trabalho da CDHM neste ano de 2014 sob a presidência do PT? O único trabalho ‘relevante’ desta douta comissão foi aprovar um Requerimento de Visita ao presidiário José Dirceu que segundo denúncias estava tendo maus tratos na Papuda”.

Sobre o episódio envolvendo os deputados Jair Bolsonaro e Maria do Rosário (PT-RS), Feliciano afirmou recentemente que “eles estavam chamando o deputado Bolsonaro de estuprador, e ele disse que mesmo que fosse não estupraria a deputada. É preciso restabelecer a verdade, ele não disse que era um estuprador”, pontuou.

Posteriormente, Feliciano usou a palavra na Câmara dos Deputados para reiterar que, sob seu ponto de vista, o caso estava sendo tratado de forma parcial: “A esquerda pode xingar? Maria do Rosário pode ofender? Bolsonaro não? Isto é justo? Se ambos quebraram o decoro, por que só Bolsonaro sofreria punição? Que fique claro: o revide de Bolsonaro não isenta a responsabilidade de Rosário”, protestou.

Assista a crítica de Jô Soares a Bolsonaro e Feliciano:

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

Vídeo de ladrões sendo atingidos por raio após assaltar igreja é falso, afirma site

Vídeo de ladrões sendo atingidos por raio após assaltar igreja é falso, afirma site

No início dessa semana a notícia de que o carro usado por uma quadrilha de assaltantes durante a fuga após assaltar uma igreja teria sido atingido por um raio ganhou destaque no mundo inteiro. De acordo com o vídeo que circulou junto à notícia inicial, a câmera de segurança da viatura que perseguia os criminosos filmou o carro sendo destruído pela descarga elétrica.

Diversos sites de notícias internacionais destacaram que os ladrões foram “punidos por Deus imediatamente” após assaltar uma igreja em São Petersburgo, na Rússia. A notícia foi divulgada também no Brasil, em sites como UOL, Folha de S.Paulo e pelo Gospel+.

Porém, o site brasileiro E-farsas publicou uma matéria afirmando que o vídeo é falso, e que na verdade se trata de uma montagem feita em um vídeo de um acidente ocorrido em fevereiro de 2013.

O E-farsas afirma que no vídeo que mostra o carro sendo destruído pelo raio há um corte evidente nas cenas antes e depois do clarão. O site publicou também o vídeo que afirma ser do acidente original; trata-se de uma colisão frontal, que resultou na explosão de um dos carros. Eles afirmam ainda que não há nenhuma notícia nos jornais locais de St Petersburgo a respeito de alguma igreja roubada recentemente, além das veiculadas junto ao vídeo da explosão do carro.

– O vídeo foi publicado no YouTube pela primeira vez no canal do usuário chamado World News TV e foi o único filme postado lá! Alguns dias após a postagem, o YouTube removeu o filme sob a alegação de o usuário ter violado as políticas do site – destacou ainda o E-farsas.

Compare os vídeos:

Carro sendo “atingido pelo raio”:

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

Danilo Gentili convida padres e pastor para falarem sobre o Natal

Danilo Gentili convida padres e pastor para falarem sobre o Natal

No programa “The Noite” desta quarta-feira (24) o apresentador Danilo Gentili vai falar sobre o Natal junto com representantes de três igrejas cristãs diferentes: Igreja Católica, Igreja Ortodoxa Grega e Igreja Batista.

Os religiosos que foram convidados para participarem do programa foram o Padre Antônio Maria, o padre Basílio e o pastor Ed René Kivitz. Cada um deles mostrou o que pensam sobre o Natal e como comemoram a data festiva.

“Podemos ser diferentes em pontos doutrinais, mas no amor somos todos iguais”, disse o Padre Antônio Maria.

Durante o programa o pastor Ed René Kivitz comentou que em sua visão o “ecumenismo parece muito saudável para um mundo civilizado”.

Ainda em clima natalino o programa The Noite do dia 25 de dezembro vai mostrar uma entrevista com o cantor evangélico Thalles Roberto. O programa foi gravado no começo de dezembro onde o músico pode contar sobre suas experiências pessoais e falar sobre sua carreira no gospel e no secular.

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

Missionários são presos na China e podem pegar pena de morte

Esta semana, um casal foi preso na China, acusado de roubar “segredos de segurança nacional”. Essa poderia ser apenas mais uma história dentro do tumultuado cenário político chinês, onde o governo faz terrorismo com a população o tempo todo. O detalhe é que Pequim vem aumentando a repressão nos últimos meses contra as igrejas cristãs em todo o país.

Na terça-feira, as autoridades detiveram o casal de canadenses Kevin Garratt (54) e Julia Dawn (53) Garratt. Embora o governo diga que eles “são suspeitos de reunirem e roubarem material secreto sobre, entre outras coisas, os objetivos militares chineses e importantes projetos de investigação no âmbito da defesa nacional”, na verdade os dois são missionários evangélicos.

A família Garratt mora na China desde 1984, e desde 2008 mantinham uma cafeteria em Dandong, na fronteira com a Coreia do Norte. Da cidade de Dandong partem muitas excursões organizadas para a Coreia do Norte e acaba sendo o local por onde entram os refugiados norte-coreanos. Por isso o casal a escolheu para abrir um centro cristão e um local para treinar outros missionários com foco na Coreia do Norte.

Segundo o Código Penal chinês, a pena prevista por espionagem é no mínimo dez anos de prisão e em alguns casos, o acusado pode ser condenado a morte. O primeiro-ministro canadense, Steven Harper, já anunciou que vai à China, mas o governo chinês não tem divulgado detalhes sobre a prisão e o processo. Os missionários estão incomunicáveis até o momento.

Simeon Garratt (27), filho do casal detido, afirma que não consegue entender por que seus pais foram presos depois de trabalhar por três décadas no país. “É uma história absurdamente louca. Não faz sentido para mim.” Ele conta que não era segredo na cidade que seus pais eram cristãos e na cafeteria Peter´s Coffe Shop, música cristã era tocada continuamente.

Com a divulgação da prisão, a imprensa revelou a gravação de material usado pelos missionários para divulgar nas igrejas canadenses o seu trabalho na China. “Temos nossa base na China e nosso foco na Coreia do Norte, mas estamos centrados em Jesus”, disse Kevin numa mensagem divulgada recentemente.

Ele contou aos membros da igreja que tinham Bíblias disponíveis na cafeteria e mostrou um poster colocado no local que dizia: “Deixe sua fé ser maior que o seu medo”. Revelou também que eles recebiam no local norte-coreanos que fugiam do país vizinho e muitos se converteram em Dandong, aceitando voltar para seu país e atuar como missionários.

Kevin contou ainda para os presentes no culto que era preciso orar mais pela pregação do evangelho na Coreia do Norte, o lugar mais fechado da Terra para o evangelho.

A agência de Notícias chinesa Xinhua afirmou que o departamento de segurança da China está “investigando o caso”, mas em nenhum momento faz menções às atividades religiosas dos Garratt. Também não se sabe se a prisão dos canadenses foi a pedido do governo norte-coreano. A China é praticamente o único parceiro comercial da Coreia do Norte e o grande apoiador do regime, que persegue cristãos. Com informações deDaily Mail.

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

Pastor Marcos Pereira é solto após STF anular sentença

Pastor Marcos Pereira é solto após STF anular sentença

O pastor Marcos Pereira, preso desde maio de 2013, teve o alvará de soltura assinado pela Justiça e foi libertado da prisão nesta quarta-feira (24) voltando para sua casa em São João do Meriti (RJ).

A notícia foi dada pelas redes sociais das cantoras que fazem parte da Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD), fundada por Pereira, como Milena Preta que postou fotos do alvará de soltura e uma imagem do religioso ao lado de sua filha, Nívea Silva, e de outras pessoas.

Pelo Instagram Nívea escreveu que a inocência de seu pai foi provada. “Foi provado a inocência do homem de Deus. Todas as acusações foram falsas. O STF decretou a anulação da sentença e o fim da prisão”.

Os membros da ADUD estão preparando uma superfesta para receber seu líder durante o culto de Natal que começa às 19h desta quarta. A cantora Kelen Rodrigues postou em seu Facebook que o culto acontecerá no Instituto Vida Renovada em Tinguá, aberto para todos que quiserem “abraçar” o pastor.

Entenda o caso

O pastor Marcos Pereira começou a ser investigado pela polícia após denúncias feitas por um pastor dissidente da ADUD e pelo coordenador do grupo AfroReggae que ligavam o religioso ao crime organizado do Rio.

Durante as investigações surgiram denúncias de que Pereira abusava sexualmente das fiéis da igreja e por conta de duas dessas acusações ele foi preso e condenado a 15 anos de prisão pela Justiça do Rio passando a cumprir pena no Complexo Prisional de Bangu 2.

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

Eyshila vendeu 30 mil cópias do seu novo CD e é destaque na Revista Época

Imagem: DivulgaçãoNa edição desta semana da revista Época, a cantora Eyshila ganhou destaque na coluna do jornalista Felipe Patury por causa da vendagem de 30 mil cópias do seu novo CD, ‘Deus no Controle’, que tem apenas duas semanas de lançamento.

Este é o segundo álbum da cantora pela Central Gospel Music e vem sendo muito bem recepcionado pelas pessoas que ouvem cada umas das 13 faixas que fazem parte do repertório. No final da nota, o também cantor da gravadora, Nani Azevedo, foi citado informando que ele é o próximo lançamento da empresa e promete ser mais um sucesso.

Adquira você também mais esse belo trabalho da Eyshila. Compre pelo site da Central Gospel, ou através do televendas, (21) 2187-7000.

Fonte: Central Gospel Music

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

A ‘Arca de Noé’ que atracou em um telhado e salvou 59 pessoas de um tsunami

Imagem: Evan Schneider/ (Arquivo) UNMilhares de pessoas na Indonésia participaram de uma oração em memória das vítimas do tsunami que completa dez anos nesta sexta-feira (26) e deixou cerca de 230 mil mortos em vários países banhados pelo Oceano Índico.

Uma história que merce ser lembrada está a da  família Basyariah, que ficou presa no andar de cima de uma casa, mas os parentes conseguiram escapar de uma forma espetacular, quando um barco arrastado pelas águas foi parar sobre o telhado da casa.

Em meio às telhas vermelhas das casas recém-construídas no vilarejo de Lampulo, há uma visão extraordinária: um enorme barco de pesca que repousa sobre duas casas.

A embarcação de madeira, com 25 metros de comprimento, tornou-se uma atração popular no roteiro turístico do tsunami. As placas apontam para Kapal di atas rumah, que significa ‘o barco sobre a casa’. No local, um texto detalha como a ‘arca’ improvisada salvou a vida de 59 pessoas.

Uma delas é a empresária local Fauziah Basyariah. “Se não tivesse sido por aquele barco, todos nós teríamos nos afogado, porque nenhum de nós sabia nadar”, ela conta.

Basyariah ainda cai no choro quando se lembra do dia da tragédia. “Não muito tempo depois do teremoto, as pessoas começaram a gritar que a água do mar estava chegando. Estávamos confusos, mas então vimos a água entrando em casa”, diz.

Ninguém entendeu o que estava acontecendo, ninguém havia passado por uma situação como a do tsunami antes. “Pensei que era o Dia do Juízo Final”, diz Basyariah.

Seu marido havia levado a moto da família para fazer compras, então ela tomou seus cinco filhos e começou a correr. Eles não podiam correr mais rápido do que a água, que subia rapidamente, então começaram a procurar abrigo em algum lugar alto.

O terremoto havia destruído várias edificações na rua, mas os seis conseguiram entrar em uma casa que ainda estava de pé e subiram para o segundo andar. Em pouco tempo, porém, perceberam que não seria alto o suficiente.

“Levou menos de um minuto para a água nos alcançar”, conta Basyariah. “A primeira onda estava muito escura, não sabíamos se era petróleo ou água”, diz.

Pouco depois uma segunda onda, ainda maior, chegou. A família estava presa. “Estávamos flutuando, com nossas cabeças tocando o teto e a água em volta dos nossos pescoços. Pensei que íamos morrer afogados”, diz Basyariah.

Então, pela janela, eles enxergaram algo esquisito: um grande barco de pesca avançando na direção deles. “As pessoas estavam gritando”, conta. “Mas então ele ficou preso em cima de uma casa e parou”, lembra.

Candida lembra, emocionada, da história de como se salvou da tragédia

Seu filho de 14 anos conseguiu fazer um pequeno buraco no teto e pulou para o telhado. Ele puxou o resto da família para fora, um a um, e todos entraram no barco. Outras pessoas se juntaram a eles.

“Quando cheguei no barco, eu só rezava e rezava”, conta Basyariah. “Agradecíamos a Deus pelo barco que nos salvou, mas mesmo o barco não era tão estável porque estava cheio de água, então ficamos nos segurando”, diz.

Eles observavam, sem ter o que fazer, enquanto várias casas em volta caíam, com pessoas ainda dentro. “Não havia nada que pudéssemos fazer”, diz Basyariah, enxugando uma lágrima do rosto.

“Apesar de ter passado dez anos do tsunami, quando falo sobre isso eu sinto como se tivésse sido ontem. Eu me sinto muito triste, e nunca vou esquecer disso”, conta.

Quando as águas baixaram, Basyariah e seus filhos foram morar em um vilarejo mais longe da costa, chamado Beurawe, mas eles continuavam voltando a Lampulo para procurar por seus familiares desaparecidos.

“Eu não sabia onde meu marido estava. E meus pais também – eles correram, mas eles eram muito velhos, e eu sabia que teria sido difícil para eles escapar”, diz. Ela nunca os encontrou.

Viúva, Basyariah se viu então responsável por sustentar cinco filhos sozinha. Enquanto ainda estava em acomodações temporárias, ela aprendeu novos trabalhos – como criar peixes, costurar e fazer bolos. E assim chegou à ideia de vender salgadinhos de atum seco.

Um ano após o tsunami, Basyariah abriu um negócio com um microempréstimo de 500 mil rupias (cerca de R$ 110). Ela hoje retornou a Lampulo, onde sustenta sua família e emprega outras mulheres na vila.

Do lado de fora da sua casa, um pouco para baixo do barco, mulheres embalam um atum seco que foi frito com alho e cebola. O aperitivo é chamado “tsunami de atum seco” e tem uma foto do barco na etiqueta. “Nós fomos salvos nesse barco, queríamos lembrar isso”, ela conta.

Há relatos de cerca de 15 barcos de pesca encontrados nos telhados de casas em Lampulo depois do tsunami, mas os outros já foram removidos.

Zulfikar, dono desse barco, concordou em deixá-lo ali como um “memorial”, apesar de tê-lo reformado pouco antes do tsunami. Naquele dia, ele tinha planos de sair para pescar.

Atualmente, o barco é reverenciado como uma “Arca de Noé”, mas serve também como uma eterna lembrança do que aconteceu.

“Todo mundo tenta tirar vantagem sobre o fato de o barco ainda estar aqui”, doz Basyariah. “Todos têm uma história diferente envolvendo o barco e como eles foram salvos por ele. As pessoas chegam até a inventar histórias.”

Ao redor do barco, apenas escombros e muita destruição

Além de atrair turistas, as memórias da tragédia em Banda Aceh também têm um papel educacional. Antes de 2004, poucos sabiam o que era um tsunami, então quando o mar começou a recuar antes da onda vir, as pessoas correram para pegar os peixes que ficaram na areia em vez de correrem para lugares mais altos.

Agora, as crianças na escola visitam os memoriais do tsunami e são ensinadas sobre os cuidados que devem ter caso situações como aquela voltem a ocorrer.

O tsunami em 2004 matou um número desproporcional de mulheres e crianças porque elas não sabiam nadar. Foram cerca de 45 mil mulheres a mais do que homens – em algumas comunidades, foram varridas gerações inteiras de crianças e idosos.

Conhecer os sinais que anunciam a chegada do tsunami salvou muitas vidas em Simeulue, uma ilha ao oeste de Aceh, onde apenas sete pessoas morreram quando a onda atingiu – um número minúsculo se comparado com os 167 mil que morreram em Aceh.

A geografia montanhosa da ilha ajudou, mas os moradores também se preveniram graças a uma história tradicionalmente contada na região, conhecida como smong.

De acordo com um relatório da Unesco, essas histórias contadas a crianças sempre terminavam com um aviso: “Se acontecer um forte tremor e se o mar se recolher logo em seguida, corra para as montanhas, porque o mar vai voltar rápido para a costa”.

Fonte: BBC Brasil

Se você gostou deste post, dizer obrigado por compartilhá-lo:
Compartilhar esta:

Curta no FaceBook